Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Odilon pode desistir do governo se não estiver bem nas pesquisas

Publicado em: 15/01/2018 15h02

Correio do Estado

Juiz Odilon tem estudado economia e administração para se preparar para a campanha.

As pequisas podem mudar o cargo de disputa do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) nestas eleições. O pré-candidato a governo de Mato Grosso do Sul confirmou que apesar de não se falar no momento em candidatura ao Senado, há a possibilidade de rever este quadro caso os números apontarem rejeição de seu nome à sucessão estadual. “Está sacramentado minha disputa para o governo. A não ser que o partido mude de opinião por conta de análise de alguma pesquisa”, revelou. 

 

Até o momento o magistrado tem despontado na frente nos números divulgados pelos institutos de pesquisa. Ele é favorito com mais de 30% das intenções de voto dos eleitores entrevistados. Desde o início Odilon tem configurado neste patamar, levando a disputa para o segundo turno com os demais virtuais candidatos que deverá enfrentar. 

 

“Acho difícil fazer uma baixa nas pesquisas. Não conversamos sobre esse aspecto temporal. No PDT não se fala em minha candidatura ao Senado. Todos os componentes e partidos que a direção tem conversado é com meu nome no governo do Estado. Só se cair demais os números teremos que obedecer a opinião pública”, completou. 

 

Com isso ele volta atrás e abre brecha para novas especulações. Anteriormente Odilon chegou a dizer que sua candidatura ao governo era irreversível. Nos bastidores políticos, se ventila a possibilidade de Odilon compor chapa com algum candidato ao Governo como o ex-governador André Puccinelli (MDB).  No caso, o ex-juiz e o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB) seriam os dois postulantes ao Senado.