Sábado, 20 de Outubro de 2018

Construção de ponte reforça rota bioceânica

Publicado em: 19/04/2018 07h16

Da Assessoria

Senador Waldemir Moka com a prefeita Márcia Marques e o secretário municipal de Governo, Afrânio Marques, durante audiência em Brasília.

O senador Waldemir Moka telefonou para ao gabinete do secretário municipal de Governo de Antônio João, Afrânio Marques, para informar ele e a prefeita Márcia Marques sobre a aprovação nesta terça-feira, dia 17, do Projeto de Decreto Legislativo autorizando acordo do Brasil e Paraguai para construção de uma ponte sobre o Rio Paraguai ligando as cidades de Porto Murtinho e Carmelo Peralta, no Paraguai.

 

Como o município de Antônio João está situado estrategicamente no corredor bioceânico e enxerga esta rota como um dos mais importantes pontos para alavancar o desenvolvimento econômico regional, o senador Moka disse que a construção da ponte sobre o rio Paraguai, em Porto Murtinho, está autorizada e que esse foi mais um passo dado na concretização do projeto de ligação do Brasil ao oceano Pacífico, através dos portos do Chile.

 

“A rota bioceânica vai facilitar as exportações, fazendo com que os produtos nacionais cheguem aos países asiáticos com menor custo, e maior competitividade”, destacou Moka ao votar favoravelmente a aprovação de emenda no valor de R$ 56 milhões para o início da obra. "Agora, com a autorização do Senado, vamos nos articular para que os recursos sejam liberados para que esse sonho seja concretizado", disse.

 

A prefeita Márcia Marques agradeceu ao senador Moka pelo trabalho em prol do desenvolvimento da região de fronteira e do Estado. “O Moka é um senador atuante em Brasília e sempre está antenado com os anseios do setor produtivo. Fazer essa interligação com o oceano Pacífico é sem dúvida motivo de comemoração para os setores produtivos do nosso Estado”, destacou a prefeita.

 

O secretário municipal de Governo de Antônio João, Afrânio Marques, destacou o empenho do senador Moka como coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul para conseguir a aprovação da construção da ponte. “O nosso município está numa posição estratégica dentro do corredor bioceânico e entendemos isso como fator positivo neste momento que buscamos mecanismos para retomar o crescimento da nossa economia e temos que destacar o trabalho do senador Moka na condução dos trabalhos em Brasília”, ressaltou.

 

Marques disse que o projeto prevê que o corredor bioceânico que passa por Antônio João ligará o Mato Grosso do Sul ao oceano Pacífico, atravessando Paraguai, Argentina e Chile. A rota reduzirá em oito mil quilômetros o transporte de cargas que atualmente é feito pelo Atlântico, a partir dos portos do Sul do Brasil e da cidade de Santos, em São Paulo. Desta forma, serão fortalecidas as exportações de grãos, de carne e será aberto um novo mercado para produtos industrializados e manufaturados.

 

Para finalizar, Afrânio disse que o corredor bioceânico também será muito importante para as exportações do Frigorífico Antônio João, cujo projeto está pronto e que só aguarda a liberação das licenças do Estado para começar a ser implantado, gerando inicialmente 100 empregos diretos, podendo chegar a 500 em um curto espaço de tempo. “Como já havíamos informado em outras oportunidades, a capacidade inicial de abate do Frigorífico Antônio João será de 100 cabeças/dia, podendo chegar a 400 cabeças/dia, com o abate de 50 animais/hora, com a forte possibilidade de uma parte desta produção ser exportada para outros países, o que sem dúvida vai proporcionar maior geração de empregos e renda para a nossa população”.