PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


Segurança manda reforço na busca por quadrilha que explodiu carro-forte



Aral Moreira - MS - Sexta, 23 de Junho de 2017
06/06/2017 15h03

Segurança manda reforço na busca por quadrilha que explodiu carro-forte

Moradores que passavam pelo local foram feitos de reféns da quadrilha que atacou carro-forte entre Caarapó e Amambai

Campo Grande News



Carro-forte foi destruído por explosivos hoje na MS-156. Foto: Divulgação

Duster que teria sido usada pelos assaltantes foi queimada na estrada (Foto: Direto das Ruas)Equipes policiais de várias regiões de Mato Grosso do Sul estão se deslocando para a região de Amambai, a 360 km de Campo Grande, para participar das buscas à quadrilha que explodiu um carro-forte da empresa Brinks na manhã de hoje (6) na altura do km 450 da MS-156, que liga Amambai a Caarapó.

 

O secretário estadual de Segurança Pública, José Carlos Barbosa, disse ao Campo Grande News que acompanha as investigações e determinou envio de reforço para o local. “A Polícia Militar está fazendo uma avaliação do ataque, já encaminhamos reforços e toda a polícia está em alerta”.

 

Barbosa disse ter recebido informações dos policiais que estão no local que os seguranças saíram ilesos. Quando o carro-forte começou a ser atacado a tiros de metralhadora calibre 50, eles teriam saído da cabine para se render aos bandidos. Em seguida o carro-forte foi destruído por explosivos.

 

Restos de explosivos, cápsulas deflagradas e um cartucho intacto calibre 50 foram recolhidos no local. Notas de 100 e 50 reais também estavam espalhadas na estrada e sobre a vegetação.

 

Moradores que passavam pelo local teriam sido feitos de reféns para ajudar os bandidos a recolher o dinheiro que estava no carro-forte. Em vídeos espalhados através de aplicativos de celular e redes sociais, eles narram o drama pelo qual passaram, como é possível conferir abaixo.

 

Uma Renault Duster, que teria sido usada pelos bandidos, foi encontrada queimada. Ainda não há pista do paradeiro dos assaltantes.

 

O local do roubo fica a cerca de 50 km de Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia (MS), onde funciona uma das bases da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) no Paraguai.




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE
  • Amoreira25
  • Sicredi Lateral97
  • Junior Arquiteto104
  • InterPax1
  • Santa Virginia20

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE