Reajuste vai custar R$ 9,5 milhões por mês para o governo, diz secretário



Aral Moreira - MS - Quinta, 13 de Dezembro de 2018
10/04/2018 09h40

Reajuste vai custar R$ 9,5 milhões por mês para o governo, diz secretário

São cerca de 75 mil funcionários públicos e uma folha de pagamento de R$ 460 milhões

Campo Grande News



Secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis, em entrevista ao Campo Grande News. Foto: André Bittar/ Arquivo

O reajuste salarial dos 75 mil servidores de Mato Grosso do Sul vai custar R$ 9,5 milhões por mês, de acordo com o secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis. A folha com o valor bruto do funcionalismo é de R$ 460 milhões mensais.

 

O acréscimo de 3,04% foi aprovado na Assembleia Legislativa semana passada em regime de urgência. Os administrativos da Educação não concordaram com este índice e, em assembleia na sexta-feira (dia 6), decidiram entrar em greve a partir de hoje (dia 10).

 

Conforme Assis, o adicional estava dentro do que o Executivo estadual poderia conceder este ano. O acréscimo nos salários valerá já a partir da folha de pagamento de abril (que será paga em maio) e representa a correção da inflação dos últimos 12 meses.

 

Na edição do Diário Oficial do Estado desta segunda, o governo também sancionou o adicional de função dos servidores da carreira Fiscalização e Gestão de Atividades de Trânsito do Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

 

Além disso, foi divulgada a concessão temporária de acréscimo no auxílio alimentação dos técnicos administrativos da Uems (Universidade Estadual de MS), no valor de R$ 400. Ainda de acordo com o secretário, são ao menos 6 mil profissionais contemplados com a medida.

 

Abono - O Legislativo estadual também aprovou, semana passada, uma emenda que prevê a incorporação do abono salarial de R$ 200 nos salários dos funcionários a partir de março de 2019.

 

A incorporação do abono foi tentada ainda para este ano no projeto que aprovou o reajuste salarial de 3,04%, mas havia passado. Depois de negociações entre governo e servidores, foi enviada nova proposta, prevendo a mudança no ano que vem. Com o abono incorporado, o funcionalismo tem outros ganhos, pois as vantagens passam a ser calculadas sobre um valor base maior.

 

A pressa para aprovar os projetos foi por causa dos prazos legais estabelecidos para anos eleitorais. Reajuste e benefícios a servidores só podem ser concedidos 180 dias – seis meses – antes da eleição.




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
  • Amoreira25
  • InterPax1

PUBLICIDADE