Funcionário de comerciante se jogou de carro para não ser morto em assalto



Aral Moreira - MS - Sábado, 23 de Fevereiro de 2019
29/01/2019 07h42

Funcionário de comerciante se jogou de carro para não ser morto em assalto

Família de Jorge Donizete Santos da Silva diz que comerciante tinha recebido R$ 6 mil e dinheiro não foi encontrado na Picape

Campo Grande News



Picape Strada do comerciante morto em assalto nesta segunda-feira em Aral Moreira. Foto: Divulgação

Para não ser assassinado, um funcionário do comerciante Jorge Donizete Santos da Silva, 57 – morto durante assalto na manhã de hoje (28) em Aral Moreira, a 364 km de Campo Grande – se jogou da picape Fiat Strada conduzida pelo patrão.

 

Ao Campo Grande News, o delegado de Aral Moreira, Eduardo Ferreira de Oliveira, disse que o homem, até agora identificado apenas como Betão, sofreu vários ferimentos por se jogar do carro em movimento e está internado no hospital da cidade, desorientado.

 

“Ele está confuso, não sabia onde estava, bateu a cabeça quando pulou do carro. Está bastante ferido”, informou o delegado.

 

Segundo o policial, a suspeita é que o assaltante estava de moto e disparou pelo menos oito tiros de revólver na picape em movimento. Um tiro acertou a cabeça de Jorge Donizete, que morreu no ato.

 

Familiares do comerciante, que tinha uma olaria no distrito de Vila Marques – a 10 km da cidade – informaram à polícia que ele estava com pelo menos R$ 6 mil em espécie. O dinheiro desapareceu, o que reforça a tese de latrocínio (roubo seguido de morte).

 

“Os familiares informaram que ele tinha recebido o dinheiro da locação de máquinas em Coronel Sapucaia e o dinheiro não foi encontrado no carro”, explicou.

 

O latrocínio ocorreu na Linha Internacional, uma estrada de terra que separa Mato Grosso do Sul do Paraguai, no trecho entre Aral Moreira a Coronel Sapucaia. Jorge Donizete foi morto perto da sua empresa, a Olaria Palmeira.

 

A polícia está atrás de pistas e de testemunhas que possam ajudar a identificar o criminoso. A região sofre com a presença de quadrilhas de assaltantes e traficantes de drogas e de armas.

 




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
  • Amoreira25
  • InterPax1

PUBLICIDADE