• Sábado, 20 de Julho de 2024

Aral Moreira figura entre os 100 municípios mais ricos do Brasil no agronegócio, segundo Ministério da Agricultura

POR JOELSO GONçALVES

1987

Aral Moreira (MS) – O município de Aral Moreira, na fronteira com o Paraguai, figura entre os 100 municípios mais ricos do Brasil no agronegócio, conforme relatório divulgado na semana passada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). A análise foi feita a partir da pesquisa anual do IBGE da Produção Agrícola Municipal (PAM). A pesquisa englobou os dados da produção agrícola municipal, referentes a 2022, levando em conta variáveis como área colhida, produção, valor da produção das lavouras e rendimento.

 

No topo da lista dos 100 mais ricos, selecionados de uma relação de 5.563 municípios, encontram-se Sorriso (MT), Campo Novo do Parecis (MT), Sapezal (MT), Rio Verde (GO) e São Desidério (BA), com participação expressiva na produção brasileira de algodão, milho e soja.

 

Aral Moreira, que tem o agronegócio como um de seus principais carro-chefe no desenvolvimento econômico, ficou na 92º posição nacional, a frente de cidades como Cascavel (PR), Rondonópolis (MT), entre outras.

 

No município, o valor da produção das lavouras permanentes e temporárias foi de R$1.326.491 bilhões de reais, o que representa 0,16% da produção nacional que é de 830,09 bilhões.

 

De Mato Grosso do Sul, além de Aral Moreira aparecem na lista os municípios de Maracaju, Dourados, Sidrolândia, Ponta Porã, Costa Rica, São Gabriel do Oeste, Chapadão do Sul, Rio Brilhante, Nova Alvorada do Sul e Campo Grande.

 

De acordo com a avaliação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, os resultados do ano pesquisado mostraram recordes de produção e de valor dos produtos comercializados. A produção foi de 263,8 milhões de toneladas em uma área de 90,4 milhões de hectares.  

 

A área total dos municípios mais ricos é de 30,156 milhões de hectares, e representa 34,2% da área total de 90,4 milhões de hectares. Os mais ricos representam 34,71% do valor da produção e geram R$ 288,13 bilhões. Também o índice de produtividade nas lavouras dessas localidades são relevantes e altos, segundo a análise da pesquisa realizada.

 

Entre os 100 municípios mais ricos, 67 situam-se no Centro Oeste, assim distribuídos na região: 41 municípios em Mato Grosso, 14 em Goiás, 11 no Mato Grosso do Sul e um no Distrito Federal (Brasília). 



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.